Share:

Aprendizados da pandemia: adaptações dos programas de voluntariado

12/14/2020
Diante dos desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus, sentimentos como empatia e solidariedade uniram ainda mais aqueles que estão dispostos a ajudar o próximo. Para combater os efeitos da pandemia, empresas e pessoas se mobilizaram para apoiar as instituições que atuam nas comunidades em situação de vulnerabilidade social.

Aprendizados da pandemia

Para a área de Sustentabilidade que cuida do braço da Responsabilidade Social Corporativa da Cushman & Wakefield não foi diferente. Nivea Pizzolito, consultara responsável pela área destaca que a empresa conta com um programa sólido de voluntariado e de investimento social através da lei de incentivo, e diante desse cenário crítico teve ação imediata para atuar no enfrentamento da crise com as instituições parceiras.

Após a identificação do primeiro caso no Brasil, no mês de março, o Comitê de Ações Sociais se reuniu para redesenhar o planejamento das campanhas sociais e a atuação dos membros diante dessa nova realidade. A empresa também definiu as ações que poderiam ser realizadas para ajudar as entidades parceiras. “A remodelação da estratégia social foi o ponto fundamental para conseguir seguir com o programa” destaca a responsável pela área de sustentabilidade.

Com a experiência desses 7 meses de pandemia, Nivea destaca os principais aprendizados:
• Maior engajamento de colaboradores voluntários para participar das campanhas e ações da empresa;
• Ressignificação das campanhas de voluntariado, de acordo com as novas necessidades das instituições;
• Realização de campanhas de maneira 100% online, atingindo maior público dentro da empresa e fora dela também;
• Novo formato de investimento social totalmente de maneira digital agilizando o processo de aporte;

Nivea destaca a importância do engajamento dos colaboradores e da alta gerência da Cushman & Wakefield no replanejamento das campanhas. “Enquanto alguns colaboradores se organizam sozinhos para iniciar projetos de doação, outros fortaleceram a conexão que já tinham com a atividade e passaram a contribuir ainda mais. Pode até ser estranho dizer, mas é justamente em meio ao caos que mais vemos florescer a esperança. Durante esses meses de pandemia, realizamos a compra de máscaras tanto para os colaboradores como para instituição parceria, que realizou a distribuição na comunidade atendida. Tivemos a oportunidade de dar maior visibilidade às ações realizadas pelas instituições sociais parceiras, como a Casa do Zezinho, a UNAS - Biblioteca Comunitária de Heliópolis e a

Casa Ondina Lobo, através dos webinars, nos quais apresentamos os novos meios para apoiar o trabalho realizado pelas instituições para a população em situção de vulnerabilidade social. Também realizamos uma campanha de incentivo à doação de sangue e, neste mês, tivemos campanha do Dia das Crianças, no qual custeamos uma tarde de entretenimento com contação de histórias transmitidas via rede social para as crianças atendidas pela UNAS - Biblioteca Comunitária de Heliópolis e para os filhos dos colaboradores.

Diante dos desafios impostos pela pandemia, Nivea destaca que o maior aprendizado foi ver que nem mesmo o isolamento social conseguiu reduzir o empenho e o engajamento dos colaboradores nas atividades sociais. “Tivemos a oportunidade de descobrir como podemos ser criativos e nos adaptar aos novos desafios de maneira rápida e sólida. Com certeza estamos mais fortes e engajados nessa nova jornada”.