Share: Share on Facebook Share on Twitter Share on LinkedIn I recommend visiting cushmanwakefield.com to read:%0A%0A {0} %0A%0A {1}

Lojas no modelo big box povoam marginais das grandes cidades

Manuel Puig • 7/28/2022

Lojas de grande dimensão, as chamadas big box recebem esse nome devido a sua aparência, que se assemelha a uma grande caixa. Geralmente elas possuem uma arquitetura padrão, pouco criativa, mas isso tem motivo, seu objetivo não está ligado à estética, e sim a necessidade de espaço.


Big Box

Diferentemente dos estabelecimentos convencionais no varejo (lojas de médio e pequeno porte), alguns empecilhos praticamente impossibilitam a instalação das big box nas regiões centrais da cidade.

Uma delas é a falta de bons espaços, com metragem de no mínimo 1.200 m², podendo chegar a 16.000 m², e que possuam preços por m² atrativos. Por isso elas acabam se instalando em regiões mais periféricas, como as marginais da cidade. É o caso da Marginal Pinheiros e Marginal Tietê, na capital São Paulo, povoadas por essas gigantes do varejo.

 

Empresas como Leroy Merlin, Telha Norte, Sodimac Tok&Stok, Decathlon, Petz, Cobasi e atacarejos são alguns exemplos de big box com forte presença nas maginais. Algumas delas, inclusive, optam por realizar contratos imobiliários atípicos, como a Obramax, empresa do grupo francês que também controla a Leroy Merlin, que recentemente anunciou um acordo de R$ 135 milhões na modalidade Built to Suit com a gestora do fundo imobiliário TRXF11 para o desenvolvimento, construção e locação dos imóveis no longo prazo.

Quer saber mais sobre Built to Suit? Clique aqui e confira o artigo completo sobre o tema com a participação do nosso Head de Capital Markets.

Big box e os power centers

Manuel Puig, Sócio Diretor na Área de Varejo da Cushman & Wakefield, conta que essa demanda por grandes espaços tem impulsionado o desenvolvimento dos chamados power centers, que são empreendimentos desenvolvidos especialmente para acolher esse tipo de operação de maneira estruturada: ‘‘as lojas no modelo big box têm necessidades de operações muito diferentes das lojas que operam em shopping centers. Pé direito entre 7 e 9 metros, área para carga e descarga nos fundos da loja e menor quantidade de pilares internos são algumas dessas especificidades, por isso os power centers são considerados os shoppings de lojas elefantes’’, ressalta.

Big Box

Manuel conta que o desenvolvimento do setor de power centers traz novas perspectivas para instalação de big box, sendo interessante tanto para o ocupante quanto para o empreendimento: ‘‘temos por um lado grandes marcas atraindo consumidores para o power center, e por outro lado temos o empreendimento oferecendo condições para abrigar esse tipo de operação com algumas comodidades, como gestão integrada e uma gama de amenidades ao consumidor’’.

Com as lojas big box puxando essa demanda, os projetos de power centers vem ganhando força. Em 2021 A MyMall lançou em Contagem, Minas Gerais, um centro comercial seguindo o conceito power center. O empreendimento tem diversas lojas-âncoras lado a lado, além de varejistas e estacionamento amplo. Recentemente o Maceió Shopping também anunciou sua transformação para power center, o que deve acontecer ainda em 2022.

A Cushman & Wakefield possui serviços específicos voltados ao varejo. Eles englobam todas as etapas do ciclo do negócio, tanto para ocupantes quanto para proprietários.

Clique aqui e mais conteúdos sobre varejo.

ARTIGOS APRESENTADOS

SBTi
Artigo • Sustainability

Carbono zero

Comprometida cada vez mais com a agenda ESG (iniciativas ambientais, sociais e de governança) para contribuir significativamente com um futuro sustentável, a Cushman & Wakefield acaba de dar mais um passo importante na jornada para atingir emissões líquidas zero de gases de efeito estufa em toda sua cadeia de valor até 2050.


Cynthia Franco • 8/11/2022
Multifamily Properties
Artigo • Famílias

Multifamily Properties

O ano de 2021 mostrou uma recuperação muito forte dos mercados imobiliários globais, com volumes recordes de investimento impulsionados por alta liquidez, sólido crescimento econômico e um ambiente de juros baixos. Um dos setores que se destacou foi o de multifamily, que se beneficiou da crescente demanda dos investidores.
Guilherme Regal • 5/4/2022

NÃO ENCONTROU O QUE PROCURA?

Entre em contato com um de nossos profissionais.

A Cushman & Wakefield utiliza cookies para analisar o tráfego e melhorar a experiência de navegação do usuário neste website. Feche este diálogo para confirmar o seu consentimento, ou visite esta página para saber mais:
Informações Importantes sobre cookies

Mais opções
Concordar e Fechar
These cookies ensure that our website performs as expected,for example website traffic load is balanced across our servers to prevent our website from crashing during particularly high usage.
These cookies allow our website to remember choices you make (such as your user name, language or the region you are in) and provide enhanced features. These cookies do not gather any information about you that could be used for advertising or remember where you have been on the internet.
These cookies allow us to work with our marketing partners to understand which ads or links you have clicked on before arriving on our website or to help us make our advertising more relevant to you.
Agree All
Reject All
SAVE SETTINGS